sexta-feira, 31 de julho de 2009

Mudam-se os Tempos mas as Vontades...



Já não é de agora! A RTP, nomeadamente os serviços noticiosos, nomeadamente a Grande Entrevista de Judite de Sousa, são do mais tendencioso que se pode ver num canal público de televisão.

O tempo de antena disponibilizado às visitas do Sr. Primeiro Ministro a escolas onde entrega pessoalmente computadores portáteis a crianças de 6 anos que ainda não sabem ler, escrever ou contar ou a fábricas que abrem duas, às vezes três vagas para operários é prova disso. Ainda falavam das viagens ao estrangeiro do Dr. Mários Soares. Vida de Presidente da República e de 1º Ministro é do melhor que há, pelo menos em Portugal. Dá para passear muito!

Mas já nem vamos por aí! As entrevistas da jornalista Judite de Sousa são, no mínimo, duvidosas. O tom agressivo e gozão com que trata os entrevistados dá "a volta ao estômago". A condescendência com que conversa amigavelmente com o "Eng." José Sócrates, também.
A Manuela Moura Guedes não é um exemplo de jornalismo neutro e imparcial mas a Judite de Sousa bate-a aos pontos. Com uma agravante, até se compreende que se deite abaixo o governo para fazer costas com o povo e subir as audiências, mas deitar abaixo a oposição ao governo que empurra o país para a lama a benefício pessoal só tem uma explicação: CENSURA!

A título de curiosidade; mais alguém reparou que quando o "Eng." Sócrates diz uma mentira começa a rir-se. Ele está a falar com um ar sério... de repente diz uma daquelas que já ninguém acredita e os cantos dos lábios começam a fugir para os lados sem ele se conseguir controlar. Reparem, a ver se eu não tenho razão?!

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Ainda acredita?



Ao ler o Programa de Governo do Partido Socialista, convém recordar o passado recente. Do que foi prometido e que não chegou a ser cumprido. É preciso Falar Verdade aos portugueses. Por isso, na hora de votar lembre-se, até que ponto um Governo do "Engº" Sócrates irá cumprir o que promete? Sim, o que vem no programa...

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Cantinhos




Anda aí uma grande febre!... Toda a aldeia quer ser vila, toda a vila quer ser cidade, toda a cidade quer ser concelho... Porquê?!

As localidades não se medem pelos epítetos, da mesma forma que "os homens não se medem ao palmos".

A esquerda também não ajuda. Tenta acabar com a tradição, com a comunidade, com a igreja e desvirtua o conceito de "a minha terra" que a nível das relações inter-pessoais funciona melhor do que o "a minha cidade". Na minha terra devia haver um centro de saúde novinho, mas na minha cidade já há, 2... Na minha terra devia haver festas e arraiais que aproximassem os vários estratos sociais da... "cidade?!"

Viver numa cidade é viver num local grande e confuso com demasiada gente. Viver numa cidade é não conhecer o vizinho, não ir à associação depois de jantar, não ir à igreja ao Domingo e almoçar em casa da avó, não apanhar "a fresca" à noite. Ninguém me perguntou se eu queria viver numa cidade, porque a minha resposta seria não. Não queria viver nesta cidade onde o centro de saúde fica numa ponta e os velhinhos noutra; onde não há lares de idosos e as pessoas têm vergonha de ir à igreja ao Domingo; onde as associações são pobres e não há desporto; onde as pessoas cada vez menos se conhecem e fazem compras no hipermercado. Não nasci numa cidade e não mudei de residência.

A esquerda em Queluz está de parabéns. Está a conseguir acabar com a burguesia e com ela vai-se a inteligência, a diferenciação, a qualidade de vida, a tradição, o sentimento de lar. Está a acabar com tudo o que conhecemos e amamos. Mas, também essa esquerda, é composta por burguesia. É toda uma "comunidade ideológica" a suicidar-se e a levar outros com ela, a acabar com a nossa Queluz.

Não desfazendo, Queluz não é Oeiras nem Carcavelos, não é Benfica nem a Amadora... Queluz é terra de nobres e de criativos, de escritores, de pintores, de políticos e boémios. Esqueceram-se? Estão a tentar fazer com que nos esqueçamos?

O país é um conjunto de regiões, as regiões conjuntos de distritos, os distritos conjuntos de municípios, os municípios conjuntos de freguesias e as freguesias conjuntos de bairros. Cuidemos, cada um, bem do seu bairro, e o nosso país, a nossa pátria, será melhor!

Todos os anos assistimos às comemorações da "elevação" de Queluz a cidade. Gasta-se mais na freguesia de Queluz em festas e iluminação de Natal que se gasta em acção social.
Não quero viver numa cidade nem numa sede de concelho. Quero viver num sítio bonito, agradável e amigável, com identidade própria. Quero viver numa "terra" e não num dormitório. Queluz não é um dormitório, não vamos deixar que a transformem em tal.

sábado, 25 de julho de 2009

Oficinas de Verão em Massamá


Ao chegarem as férias escolares dos mais novos, chega, também, uma dor de cabeça aos pais que se encontram ocupados profissionalmente: como ocupar os tempos livres das suas crianças?
Face a este “drama”, a Junta de Freguesia de Massamá promoveu uma iniciativa, ainda a decorrer, com vista a solucionar o problema destas famílias: as Oficinas de Verão.
Estas Oficinas, a decorrer desde 6 de Julho, e que terminam a 31 do mesmo mês, têm como objectivo ocupar as férias das crianças, entre os 6 e os 12 anos, com actividades que promovem o desenvolvimento intelectual dos mais novos – Oficina de Escrita Criativa, Oficina do Conto, Oficina de Expressão Dramática/Teatro, Oficina de Jogos (incluindo cada uma destas oficinas um dia de actividade na praia).
Num momento em que as crianças não beneficiam, muitas vezes, de um acompanhamento adequado à sua idade, é de louvar esta iniciativa levada a cabo pela Junta de Freguesia de Massamá que possibilita às crianças não só o desenvolvimento do seu físico, como o desenvolvimento da sua mente.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

O MAI, as armas e o financiamento das Forças de Segurança

Em altura de crise e de maior insegurança nas ruas, a Polícia de Segurança Pública (PSP) vai leiloar na segunda-feira 217 armas, entre espingardas e pistolas.
.
Não coloco em causa a legalidade de todo o processo. Mas é desta forma que o MAI pretende financiar as Forças de Segurança, permitindo a colocação de mais armas na rua a preço de saldo? Por favor... Mas que irresponsabilidade é esta? (via Psicolaranja)

Gripenet



Em 2003 surgiu, na Holanda, um projecto que aspirava monitorizar online as contaminações por gripe. Este projecto espalhou-se pela Europa e é desenvolvido em Portugal desde 2005, pelo Instituto Gulbenkian da Ciência.
A gripe suína continua (e continuará) a manter-se na ordem do dia, portanto, qualquer fonte de informação fidedigna é importante, bem como a participação de todos no estudo.
Para mais informações sobre o projecto, consultas por zona geográfica e participação, visite http://www.gripenet.pt/

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Ele há cousas


O Sr. Alberto João Jardim lembrou um assunto desconfortável para muita gente. Se é verdade que a "legalização" da "direita" ou a "proibição" da esquerda não dizem respeito directamente a partidos de centro, como é o caso do PSD, também é verdade que, tendo em conta que a social democracia defende a igualdade entre todos, deveria ser obrigada a pronunciar-se sobre esta questão.
Contextos históricos à parte, a única justificação para a proibição de qualquer corrente ideológica no nosso país de direito é a mesma poder representar uma ameaça à democracia. Ora, tanto a extrema esquerda como a extrema direita redundam inevitavelmente em ditadura, ou não? É facto que em Portugal, a única forma de ditadura que conhecemos posterior à Implantação da República foi de direita, o que não exclui o conhecimento de realidades internacionais que nos mostram bem a ameaça adjacente à extrema esquerda. Deveremos, enquanto cidadãos responsáveis, ignorar isso?
É claro que podemos sempre parar de tratar os eleitores como intelectualmente incapazes, liberalizar ambas as correntes e deixar que a massa cinzenta dos portugueses trate do resto... Porque trata, mesmo!

Festival Vídeo Jovem de Sintra



Decorreu este fim-de-semana a IV edição do Festival Vídeo Jovem de Sintra.
Apesar de em menor escala, comparativamente a anos anteriores, os trabalhos dos alunos continuaram a surpreender, tendo sido acrescentadas novas categorias, como fotografia e artes plásticas.
Mais uma vez, os alunos das escolas de Sintra foram os mais participativos, levando a concurso trabalhos desenvolvidos em aulas ou mesmo de forma externa.
O grande vencedor foi um viral, ao nível do que se vê em escolas superiores de Publicidade, realizado pelas alunas Filipa e Lúcia, da EB 2, 3 da Terrugem.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

(também) O Verão é Tempo de Festa



A Câmara Municipal de Sintra organizou, mais uma vez, a já conhecida "Rota das Feiras", que atravessa todo o município.

Entre hoje e Domingo, Queluz recebe a Feira Setecentista, que começa à tarde e se prolonga pela noite dentro.

Os visitantes poderão apreciar algumas peças de artesanato, como olarias, cerâmicas, registos e arte sacra, bijutaria etc. Poderão também visitar a taverna setecentista, os espaços de oficina, ver os teatros de D. Robertos, passear de cadeirinha, admirar os saltimbancos e malabaristas e observar nobres em passeio, zaragatas entre aguadeiros galegos, pregões setecentistas...

Amanhã, Sábado, pelas 21h30, no espaço palco, poderá assistir a uma adaptação da peça de teatro “Assembleia ou Partida” de Correia Garção.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

A "VILA" DE CASAL DE CAMBRA

No dia 12 de Junho de 2009 foi aprovado em Assembleia da Republica o Projecto de Lei 695/X/4ª de 24 de Março de 2009, o qual propõe a elevação da Povoação de Casal de Cambra a VILA.
Não obstante da mesma reunir todas as condições necessárias para esta "promoção", algumas questões se impoem:
Em Primeiro Lugar e sendo eu habitante de Casal de Cambra à 29 anos, logo conhecedor da realidade desta localidade, pergunto-me o porquê de só agora surgir esta "elevação a vila"?
O que terá este ano em especial?
Será por ser ano de eleições?
Outra das situaçoes que me deixou com alguma estupfacção foi o facto de, imediatamente após a aprovação daquele Projecto de Lei por parte da Assembleia da Republica, a nossa Junta de Freguesia publicou no seu site esta noticia como dado assumido e em vigor no ordenamento jurídico.
Mais, de imediato no Simbolo Heráldico constante na Bandeira da Freguesia de Casal de Cambra passou a constar a seguinte inscrição: "VILA DE CASAL DE CAMBRA".
Ora bem meus amigos eu pergunto-me:
Será que este Projecto de Lei ora aprovado pela Assembleia da Republica não carece de Promulgação por parte do Presidente da Republica?
Será que o respectivo Diploma não deveria ser de seguida publicado em Diário da Republica?
Terão sido porventura eliminados estes procedimentos pelo Programa de Simplificação "SIMPLEX" do nosso ilustre Governo?
Pois a razão é simples meus amigos: A Junta de Freguesia de Casal de Cambra, liderada por um executivo do Partido Socialista está a usar descaradamente esta situação como "Bandeira Eleitoral" custe a quem custar, doa a quem doer, nem que para tal seja necessário ignorar uns "meros formalismos legais" que por acaso a não existirem implicam tão somente a inexistência do Diploma e consequentemente o não reconhecimento legal da elevação de Casal de Cambra a Vila.
Em Suma, parece-nos a nós que o pensamento de algumas pessoas é que em politica vale tudo e que todas as "armas" são poucas para arrecadar votos, nem que para tal seja preciso "enganar" a população.
No fundo uma coisa serve de consolo. O PSD com a sua Politica de Verdade não faria nem fará uma situação destas pois os argumentos por nós utilizados baseiam-se em realidades assumidas e concretas e não em factos oportunistas e pouco transparentes.

Escola de Pais...

Como residente da Freguesia do Monte Abraão, mas muitas vezes sentindo a minha freguesia apenas como local de dormitório, procuro sempre saber um pouco mais do que se vai passando e, no site da Freguesia, encontro algo que diz… "Escola de Pais".

De facto, precisamos de uma freguesia onde o índice de criminalidade baixe, em que todos possamos sair à rua durante a noite sem ter que olhar por cima do ombro a ver quem nos segue, precisamos de segurança. Precisamos de sentir um clima de valores entre jovens… precisamos que exista respeito entre os jovens. Mas isto seria um tema com muita pontas para discutir…

Fiquei contente por saber que aqui existe este projecto (desconhecido da maioria dos residentes), que pretende melhorar e promover a qualidade da relação parental; pretende que entre pais e filhos seja criado algo mais que somente o “laço nome” pai/filho. Tenta mostrar o melhor caminho para que os pais consigam tirar a criminalidade da “escola” dos seus filhos, consigam ensinar-lhes outros valores, valores esses que tanto necessitamos.
Irei continuar a seguir este projecto e, sinceramente, espero sentir muito em breve que está a resultar, que quem conduz o projecto se esforça para que resulte, que jamais baixará os braços, porque todos sabemos que não é tarefa fácil, mas também todos sabemos que com dedicação conseguiremos alcançar o objectivo.
Estruturas deste tipo, não são nem devem ser partidárias, devem sim unir os cidadãos de todas as áreas em torno de um objectivo comum - a melhoria das condições de vida na sua terra.
É preciso bem mais para resolver os problemas sociais no Monte Abraão. Este é um começo, mas apenas isso.
Em termos de policiamento, de infraestruturas, de comércio, o Monte Abraão precisa de mais. O Monte Abraão precisa de mudar radicalmente.
Aos curiosos e interessados… http://escola-de-pais.blogspot.com/

Belas e os Idosos



Vivemos em zonas bastante envelhecidas e a população mais idosa requer sempre maior atenção e cuidado. Viuvos e viuvas, muitas vezes sem família, sem amigos e com um rendimento no limiar do necessário à sobrevivência lutam contra todos os obstáculos, incluindo a solidão.

Todas as actividades e apoios nesta área são de louvar e, este Verão, Belas está de parabéns por promover, pela primeira vez, o projecto "Praia Sénior 2009".

Esta iniciativa da Junta de Freguesia de Belas visa a promoção do convívio entre todos os participantes, combater o seu isolamento, facilitar a acessibilidade à praia e incentivar a mobilidade dos participantes.

A intervenção das Juntas de Freguesia nesta sub área da acção social é fundamental mas nós, enquanto comunidade, não nos podemos descartar da nossa responsabilidade cívica para com aqueles que mais precisam. Afinal, mesmo as Jotas se tornam Séniores.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Parabéns




Duas das nossas seis freguesias estão de parabéns, fizeram 12 anos de existência.

É interessante ver como localidades tão próximas, conseguem estar tão distantes, em tantos aspectos.

Nos últimos 12 anos vimos nascer um Centro de Saúde em Massamá, bem como uma Esquadra de Polícia, vimos Parques Urbanos serem requalificados e montes transformarem-se em bairros de forma minimamente harmoniosa.
Massamá soube atrair o investimento, dado que é bem mais do que uma freguesia dormitório, apresentando, para além da extensa zona industrial, uma imensidão de espaços comerciais e de diversão nocturna.

Mesmo ao lado, a vizinha Monte Abraão não teve a mesma sorte. Os últimos anos não trouxeram novos equipamentos a esta freguesia, mantendo-se a mesma quase inalterada em número de estruturas, associações, espaços comerciais, etc. O que não quer dizer que não tenha crescido, dado que o número de habitantes aumentou, bem como a criminalidade, aliás.
É de louvar, no entanto, o esforço que tem vindo a ser desenvolvido em acção social, uma prioridade do actual executivo (ao contrário do que acontece em Queluz, infelizmente) e que tem compensado.
Por último, gostaria de lembrar a existência do importante mas esquecido património histórico nesta freguesia.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Diferenças




Muitos afirmam que PSD e PS são iguais. Isto não é verdade, as diferenças são mais que muitas e eu vou revelar a que para mim é a mais fundamental.

Um pobre mendigo esfomeado está na rua, a pedir alguma coisa para comer.

Passa o PS e vendo aquilo, pára imediatamente e oferece ao mendigo um peixe que traz consigo num saco.

O mendigo, felicíssimo, agradece e começa a preparar o peixe e a fazer brasas, assa o peixe e, por fim, come-o. Durante umas horas fica de barriga cheia e acaba por adormecer. No dia seguinte, o mendigo acorda de novo esfomeado e volta para o mesmo sítio, na esperança de que o PS passe outra vez com mais peixe.

Desta vez quem passa é o PSD que, vendo aquilo, pára imediatamente e oferece ao mendigo uma cana de pesca. O mendigo sem perceber o que era aquilo começa a lamentar a sua sorte e a pedir pelo PS. Mas o PSD explica, calmamente, que aquela cana servia para que ele próprio pudesse apanhar peixe e que nunca mais precisaria de pedir nada a ninguém.

O mendigo durante algumas horas não conseguiu apanhar nada, nem sequer percebia como aquilo funcionava e continuou a esperar que o PS passasse com peixe fresco. Mas depressa apanhou o jeito e os peixes começaram a morder.

Hoje, passados 5 anos, o mendigo é o proprietário de uma peixaria de sucesso no centro de Lisboa!

terça-feira, 7 de julho de 2009

"Escolham!"

"Acho que é uma atitude pedagógica e exemplar. Acho mesmo que Ana Gomes e Elisa Ferreira devem escolher: ou renunciam já aos mandatos de eurodeputadas ou renunciam às suas candidaturas autárquicas. Que escolham!" [...] É "uma questão de transparência para que os eleitores saibam em quem estão a votar". - Manuel Alegre.

Depois destas palavras, o que dizer? Bem sei que o histórico não deixou o cargo de deputado na AR, aquando da sua candidatura à Presidência da República. Mas está claro, que Ana Gomes e Elisa Ferreira são candidatas "part-time" ou "fantasma" se preferirem, com os seus objectivos políticos já garantidos e que apesar de tudo, apenas pretendem fazer "o favorzinho" ao seu Secretário-geral...

Enfim, depois do avô, estou certo que os eleitores de Sintra e do Porto não irão em "cantigas" desta natureza... (via Psicolaranja)

Assim se canta assim se vê (…) a força da JSD!

Pensei que estivesse a haver um saudável debate de ideias entre duas estruturas semelhantes em estrutura mas díspares em ideologia. Afinal, não.

O que de facto aconteceu foi que, a JS de Rio de Mouro que tem página online há cerca de três anos, apenas dois autores e comentários que se contam pelos dedos de uma mão (incluindo já os de ontem) ficou com ciúmes da JSD Queluz que tem página online há cerca de 3 meses e é raro o dia em que não se discuta um ou outro assunto de relevância, sempre com opiniões bastante diferentes mas democraticamente aceites e debatidas.

Um caminho é tentar irritar, apresentar argumentos sem nexo para forçar uma resposta mais agressiva, andar de blogue em blogue a dizer mal daquele que funciona e tentar granjear notoriedade para o blogue que não funciona.

Um outro caminho que aqui deixo:
- Falem sem medos daquilo em que acreditam
- Proponham actividades abertas ao exterior
- Respeitem a opinião alheia sem nunca deixar de argumentar
- Façam pelas vossas mãos aquilo que acham que devia ser feito
- Deleguem responsabilidades
- TRABALHEM E DEIXEM TRABALHAR!

Da aplicação prática dos conceitos teóricos - Princípio da Subsidiariedade


Passo 1 - A teoria


Decorre do Princípio da Subsidiariedade que uma sociedade de ordem superior não deve intervir na esfera de autonomia de uma sociedade de ordem inferior, da mesma maneira como uma sociedade de ordem inferior também pode transferir funções e consequentes poderes para uma sociedade de ordem superior.


Em suma, aquilo que a comunidade de menores dimensões puder fazer no seu próprio interesse deverá fazê-lo ela mesma, delegando apenas poderes numa instituição de maiores dimensões quando tal não for possível. Por exemplo, devem ser as autarquias locais a apresentar soluções para os seus cidadãos em vez de aguardar a intervenção do Governo. O mesmo se verifica, por exemplo, em termos comunitários, sendo que no art. 5º do Tratado que institui a CE, se dispõe que as instituições comunitárias apenas deverão intervir nalgumas matérias quando as insituições nacionais não o puderem fazer.


Passo 2 - A prática


Quer isto dizer que a questão toca a todos... sim, a nós também. Se estamos próximos de uma realidade e se temos meios ou sugestões para melhorar essa realidade porque não arregaçar mangas? Devemos esperar, por exemplo, que sejam as instituições oficiais a solucionar todos os problemas da freguesia onde vivemos?


Se o Sr. X, que é o cidadão comum da freguesia Y, se assume como preocupado com a falta de cuidado que a Junta de Freguesia tem com a manutenção dos espaços verdes e com o aumento de pobreza na sua freguesia, porque não passar a ter mais cuidado com o plástico do maço de tabaco que deita para o chão quando acaba de o comprar todas as manhãs ou tentar informar-se acerca das instituições existentes na sua área de residência que recolham géneros alimentares e roupa, entre outros projectos de apoio a cidadãos mais carenciados? Porque não avançar com um projecto de sensibilização para o cuidado com os espaços verdes e para os problemas sociais?


Passo 3 - A prática e a JSD


Agora substituímos o "Sr. X" pela JSD Queluz e a "freguesia Y" pelas freguesias onde residimos. E depois? Bem, depois idealizamos e concretizamos.


É simples, não é?

SOMOS LIVRES




Fez ontem, dia 6 de Julho, um mês que a secção da JSD Queluz voltou à actividade que sempre a caracterizou. É com muita alegria que volto a ver militantes motivados, a trabalhar, a expôr a sua opinião (ainda que muitas vezes controversa).

Não nos podemos esquecer de onde vimos, por isso, deixo-vos uma música que marcou a nossa identidade e me deixa sempre com uma lágrima no canto do olho.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Quem disse que os Jovens perderam o Interesse?!

Há estruturas com um dom para a manipulação da opinião pública ...

Creio ser do interesse dos militantes conhecer a resposta da CP da JSD Queluz



Foi com alegria que percebi haver agitação política provocada pelo Blog da JSD Queluz. A discussão pública de assuntos de interesse é sempre de valorizar, sobretudo quando provém de elementos de juventudes partidárias, dado que a juventude se encontra hoje em dia tão alheada da política nacional e local. Serão sempre bem-vindos ao nosso espaço, que não é local de censura e deixamos aberto a todos.

Respondendo:

A pessoa que acusou um elemento do PSD de “parolice” decerto não se aborrecerá de ser intitulada de “palhaça”, especialmente após o particular incidente dos “cornos”… Mas, como com o mal dos outros podemos nós bem, a JSD (e creio poder falar em nome nacional) repudia qualquer insulto pessoal a seja quem for. O caminho não é esse! Creio que o pedido de desculpas formal já foi feito pelo autor do Post.

Quanto a Sintra, desde que tivemos como candidata e eleita (para mal dos pecados de freguesias como Mercês, Massamá, etc.) uma senhora que fez campanha em Queluz de Baixo (Oeiras) já nada do que vem do PS surpreende.

Num partido com número suficiente de pessoas competentes e voluntariosas ao serviço, não resta espaço à acumulação de cargos. Temo imaginar que não restarão suficientes pessoas competentes ao PS e que a única saída para que continuem a apresentar-se a votos seja um deputado europeu candidatar-se a uma autarquia. Aliás, apesar de admitir que, de quando em vez, seja necessária, não consigo conceber que alguém defenda a acumulação de cargos de importância numa mesma personalidade, roubando o protagonismo a outros com igual vontade de trabalhar.

A verdade é que, de facto e ainda que para a JS seja difícil de aceitar, o Dr. Fernando Seara está a fazer um bom trabalho e a Dra. Ana Gomes é vítima do próprio partido que a tenta afastar e calar por se tratar das poucas que restam com um “nico” de personalidade e opinião próprias.

A defesa pelo ataque costuma ser sintoma de falta de argumento, o que também não surpreende. Porque não respondem à promessa de não baixar os impostos, seguida de um aumento de IVA de 2%, seguida de uma descida (extremamente publicitada) de 1% que ainda assim deixou o IVA mais elevado do que nos tempos da Dra. Manuela Ferreira Leite que nos pediu para apertar o cinto?

É que um dos motivos que levou os portugueses a votarem PS foi verem-se entre um partido que lhes pedia para apertar o cinto e um outro que prometeu alargá-lo. Afinal de contas, os que prometeram alargá-lo foram os que mais o apertaram.

Da Dra. Manuela Ferreira Leite, nós portugueses sabemos o que esperar – Verdade.

Ora a vossa resposta é o Parque Mayer e a Feira Popular? A mim parece-me que o Dr. Santana Lopes, contra tudo e contra todos, cumpriu as promessas eleitorais, deixando esses dois pontos para quem? Para o Dr. António Costa que fez… É verdade, NADA!

Não deviam defender o indefensável… É que nós trabalhamos e bem.

As ideias valem mais do que as palavras e eu prefiro trabalhar ao lado de 10 pessoas com o 9º ano e muita vontade de trabalhar do que com 100 pseudo-doutores da Independente cujo único esforço político foi percorrer o dicionário à procura de palavras “caras”.

PS: Quando o “a” não é de “haver” mas sim a preposição contraída com o artigo definido, leva acento grave e não agudo, boa?

Cumprimentos

A Presidente da Comissão Política da JSD Queluz
Helena Coelho

Resposta à carta aberta à JS de Rio de Mouro

Caros leitores vamos a ver se nos entendemos...

Como Presidente da Mesa da Secção da JSD Queluz aqui vai a resposta ao post colocado pela JS de Rio de Mouro no passado dia 6 de Julho.

O Direito à Resposta que escrevi em post anterior, foi uma forma de poder justificar o real descontentamento dos Portugueses, o qual a JS de Rio de Mouro não deve ter ouvido. Como se sabe, a política de verdade está a ser um pouco esquecida pela maioria Socialista. Para quem achou que foi uma carga de insultos o que eu escrevi, então lamento que a JS de Rio de Mouro tenha a atitude repugnante em me ter acusado, a mim pessoalmente, de «beirão que vive em Lisboa».
Nas últimas horas, verificamos uma toma de atitude por parte do Partido Socialista que achamos correcta, os candidatos a Eleições Autárquicas não podem concorrer às Eleições Legislativas. Isto sim é a verdadeira democracia que aplaudimos pela atitude, o que lamentamos é que não tenham feito isso com as Europeias...
Como Presidente da Mesa da Secção, foi mais repudiante a JS de Rio de Mouro ter achado que o nosso blog é insultuoso quando o que queremos é que se fale verdade aos eleitores. O Centro de Decisão Política está nos eleitores! Mas ficamos contentes que no Concelho de Sintra haja Juventudes partidárias, como o caso da JS de Rio de Mouro, em actividade. Com a presença da JS de Rio de Mouro ficamos a perceber que, de facto, existem grupos políticos locais a darem a cara, não só pelo seu partido como pelas suas ideias. Mas não podemos deixar de sentir o clima de desconforto que o país atravessa.
Pessoalmente, convivo com pessoas dos diversos quadrantes políticos e correntes de opinião, tenho amigos do PCP, do próprio PS, também do CDS/PP e do BE pelo que estou aqui para ouvir as pessoas, não para criticar sem fundamento. Tudo o que tenho escrito no direito à resposta foi uma forma de analisar, com dados fundamentados, o que tem sido a Governação Camarária Socialista e a Governação Camarária Social Democrata em Sintra. No entender da JS de Rio de Mouro, foi insultuoso mas na minha óptica é «pôr o dedo na ferida». Os exemplos dados no direito à resposta, são exemplos nítidos do que foi prometido e não foi cumprido quando a Dra. Edite Estrela esteve na Câmara Municipal de Sintra. Agora, se a JS de Rio de Mouro não aceita e não admite os erros é porque se acha prefeccionista e remeto-me ao silêncio. Errar é humano mas não aceitar os erros cometidos é a mesma coisa que achar que o que foi feito está bem.
Quanto à questão da falta de trabalhos (ou de empregos se querem chamar) é uma forma de atenuar a criminalidade. Não são teorias revolucionárias, são situações reais que são analisadas. Hoje em dia, lemos e ouvimos muitas notícias sobre criminalidade, então quem rouba está a fazer o quê? Está enriquecer com a riqueza dos outros ou uma forma de sobre vivência? Deixo isso para a consciência de cada um.
O Alargamento do IC19 foi uma promessa muito debatida ao longo dos anos, mesmo na gestão camarária da Dra. Edite Estrela, mas ela não alargou porquê? Falam das variantes, onde está o IC16 que foi prometido pela Dra. Edite Estrela, publicado na revista municipal durante o seu mandato? Quanto a isso ficamos sem resposta...
Relativamente às propostas eleitorais que são sufragadas pelos eleitores em campanha eleitoral, alguma vez elas foram cumpridas? Desde que o Eng. António Guterres anunciou que estava a viver «num mar pantanoso» ficámos logo a perceber que algo estaria errado no nosso Estado. Durão Barroso não pôde cumprir tudo porque a conjuntura não o permitiu. Mas o mais grave de tudo é que quando o Sr. José Sócrates venceu as eleições Legislativas de 2005 prometeu que não ia aumentar os impostos. E sabem qual foi a realidade dos factos? Aumentou o IVA em 2% e depois reduziu 1% e criticou as receitas extra ordinárias que a Dra. Manuela Ferreira Leite arrecadou durante o seu mandato como Ministra das Finanças, o que foi aplaudido pela Comissão Europeia de então. O que tem a dizer a JS de Rio de Mouro sobre isto? Até agora nada!...
O Dr. Seara pode ter todos os defeitos mas também tem qualidades. Agradecíamos que a JS de Rio de Mouro pudesse demonstrar pontos positivos no Dr. Seara. Eu já mencionei que a Dra. Ana Gomes foi uma boa embaixadora na Indonésia, o que louvamos. A JS de Rio de Mouro apenas manifesta aspectos negativos nos outros?... Ficamos a aguardar uma opinião...
Lamento que a JS de Rio de Mouro se tenha ofendido com acusações mas estas referem-se a decisões mal tomadas que sucessivamente têm sido feitas. E quanto à emigração e ao racismo, deixo aqui a nossa tomada de posição, condenamos o racismo e a discriminaçãos dos cidadãos emigrantes que vêm para Portugal. Mas não acham que já chega de receber emigrantes? O CDS/PP tem uma proposta sobre politica de emigração que me parece um pouco lúcido e consciente.
Com a crise económica mundial, estamos a receber novamente os Portugueses que emigraram para ter uma vida melhor mas será que podemos continuar a receber mais pessoas para além dos nossos Portugueses? A nossa taxa de desemprego é alta e queremos que ela aumente mais?
O que tem a dizer a JS de Rio de Mouro à luta dos professores e à indisciplina dos alunos? Será que estamos a ser justos tanto para os professores como para os alunos?...
Eu pessoalmente, apoio algumas propostas que tenho ouvido por parte do PS sobre alguns temas mas deveríamos debruçar-nos sobre os assuntos "mais sociais" e em dois pontos que estão a causar a tensão social que vivemos: O Desemprego e a Economia do País.

Como autor do direito à resposta, peço as minhas sinceras desculpas se fui incorrecto mas o que queremos é sentarmo-nos todos à mesa e levar o nosso país, e o nosso município também, para um bom caminho! Mas também ficarei a aguardar um pedido de desculpas pelas palavras grosseiras que foram escritas pela JS de Rio de Mouro porque a Democracia faz-se de pessoas e não de números.
Deixo aqui uma ideia para que, tanto a JSD Queluz, como todas as juventudes partidárias, sejam elas da JSD como da JS (atenção que está aberto à JP, à JCP, à Juventude do BE e às demais associações juvenis), nos reunamos a debater ideias na mesma mesa. Se calhar a Democracia fica a ganhar. Também deveríamos abrir uma janela de oportunidade aos que não estão associados a nenhuma juventude partidária, só assim é que podemos ajudar mutuamente os nossos jovens que, como eu, são resistentes e orgulham-se de serem Portugueses. Citando uma frase interessante, «Portugal é dos Portugueses!»


O Presidente da Mesa da Secção da JSD de Queluz.

Análise das Eleições Legislativas Nacionais

Tenho estado a fazer uma comparação na qual, nenhum centro de sondagens e nem mesmo os mesmos analistas o fazem este exercício simples de como a abstenção cai se analizarmos que o número de eleitores for sempre o mesmo. Para fazer comparações de actos eleitorais anteriores, o indicador de votantes teria de ser o mesmo mas isso não está a ser analizado... mas vamos fazer este exercício que explica mesmo que a abstenção em Portugal nas Legislativas poderá ter baixado mas só com o promenor de manter como referência o valor de votantes de 1985.

1985 - 25,84 % de Abstenção (2 020 052 eleitores)
1987 - 27,00 % de Abstenção (2 111 125 eleitores)
1991 - 23,99% de Abstenção (1 875 774 eleitores)
1995 - 19,79 % de Abstenção (1 547 376 eleitores)
1999 - 25,54 % de Abstenção (1 996 968 eleitores)
2002 - 24,66 % de Abstenção (1 928 161 eleitores)
2005 - 21,35 % de Abstenção (1 669 352 eleitores)

Estes resultados verifica que ouve um decrescimo de abstencionistas em actos eleitorais onde foram ganhos por maiorias absolutas, vejam os casos de 1991 com a viória do Prof. Cavaco Silva, de 1995 com a vitória do Eng. Guterres e de 2005 com a vitória do Sr. José Sócrates... Será possivel que o PSD possa ganhar uma maioria absoluta?... É claro que sim! Deixo aqui um apelo a todos que leêm este blog, votem! Não deixem de exercer o seu maior acto de cidadania, o seu voto faz a mudança de Portugal! Vote na urna! E vote no PSD!

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Dos professores



Muitas vezes, a opinião pública faz a vontade ao governo e parece esquecer-se de um dos assuntos que mais polémica tem gerado - Escola e Professores.

Não vale a pena "bater mais no ceguinho"... Já se viu que a solução não está ao alcance da actual ministra (ou sinistra, como estes a apelidam). Mas vale a pena ouvir o que Manuela Ferreira Leite tem a dizer sobre esta matéria.

"Não se pode manter um sistema em relação ao qual, na generalidade, todos estão contra e que é um tipo de sistema em que todos devem estar envolvidos"

"Uma coisa é certa, vamos pôr em cima da mesa a modificação destes quatro aspectos: Estatuto do Aluno, avaliação dos professores, Estatuto da Carreira Docente e os aspectos de desburocratização" (...) "as propostas, em concreto, hão-de ser feitas com os agentes educativos"

"Agora, também já se viu este sistema não serve para avaliar, só serviu para paralisar"

"estes quatro anos foram quatro anos absolutamente perdidos em termos de reforma da educação" e é preciso "lançar mão àquilo que é preciso fazer e não permitir que o sistema educativo se continue a deteriorar"

quinta-feira, 2 de julho de 2009

O Gesto de Pinho no Debate da Nação de 2 de Julho de 2009




Este gesto lamentável pela pouca democracia que este (des)Governo nos apresenta, este indivíduo que, lamentavelmente, apresentou o «fim da crise» quando ainda não tinha acabado, que fala bem dos Chineses em termos de trabalho e o rasgar um papel na SIC Notícias por causa dos projectos megalómanos deste (des)Governo por causa de uma afirmação da Dra. Manuela Ferreira Leite que ia rasgar de cima a baixo aqui está o resultado deste Governo PS.
Sr. Manuel Pinho, deveria ir para a Praça de Touros de Vila Franca de Xira para ser toureado.
Como é possível vivemos num país onde temos um ministro que não dá dinheiro aos agricultores. de um ministro que não cria mais postos de trabalho, de um ministro «jamais» para parar de fazer obras públicas, de um ministro que dá um cheque em branco para as «banquetas» e que assume a recuperação económica quando não se verifica isso e de um ministro que mete «os cornos» à oposição com a pouca democracia e de tudo o que supra citei acham os Portugueses interessados neste «Pinócrates»?
Depois de termos levado com acusações graves de uma JS que se esquece de meio milhão de portugueses estão sem trabalho e desmotivados com o «espizanhar» os calos da evolução dos profissionais como querem um Ministro que mete «os cornos» para as suas empresas de charme como uma PT, uma Mota Engil e uma GM que ainda não devolveu dinheiro ao Estado depois de ter encerrado a Fábrica da Azambuja... É como eu digo Sr. Manuel Pinho, deveria ir para a Praça de Touros de Vila Franca de Xira, lá é o seu lugar. Se calhar teria mais sucesso!...