quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Serviço de Atendimento à Gripe (SAG)

Após contacto com a linha Saúde 24, sou informada que os residentes da "cidade" de Queluz com suspeita de infecção pelo vírus H1N1 se devem dirigir ao Centro de Saúde da Venda Nova, concelho da Amadora. Pergunto se há algum SAG no concelho de Sintra e a resposta é "NÃO"!
Desconfio! Existe seguramente mas, para evitar congestionamentos e por não ser o da minha área de residência, a telefonista prefere mentir... Decido investigar e descubro que, afinal, é verdade.
A Direcção-Geral de Saúde não considerou importante que o concelho, dito o mais populoso do país, possuísse um SAG próprio. Não é caso único, bem sei. O mesmo se passa em concelhos vizinhos. No entanto, as especificidades de Sintra, nomeadamente em termos de densidade populacional na linha urbana, mereciam outra consideração...

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Marco Almeida, Vice-Presidente da CMS, participa em debate sobre Políticas de Juventude no Concelho, promovido pela JSD Queluz.






No passado dia 12 de Dezembro, a JSD Queluz realizou um Debate sobre Políticas de Juventude no Concelho de Sintra. A iniciativa foi aberta a todas as juventudes partidárias, bem como a associações, e contou com a presença do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Sintra (CMS) e Vereador da Juventude, Dr. Marco Almeida.

Pela noite dentro, discutiu-se o orçamento para a Juventude, as questões consideradas prioritárias para o actual executivo camarário e a abrangência das áreas de actuação neste Pelouro.

Marco Almeida salientou a importância de trabalhar em estreita ligação com as escolas, valorizando o seu papel no contacto directo com a Juventude e a necessidade de estabelecer protocolos e projectos comuns, num trabalho que se quer de parceria.

O Vereador referiu ainda o importante trabalho das associações, nomeadamente as escotistas, lamentando que o associativismo esteja gradualmente a perder o impacto de outrora na comunidade. Segundo Marco Almeida, urge estimular nas camadas mais jovens o espírito associativista e de voluntariado.

Considerando o sucesso da iniciativa, a JSD Queluz promete trazer a lume outros assuntos de relevância para o município, entendendo que as juventudes partidárias devem ser espaço de debate, voltadas para o exterior e para a população civil.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

A JSD Queluz convida-te a participar no Debate sobre Políticas de Juventude no Concelho de Sintra.

A iniciativa realiza-se este Sábado (dia 12), pelas 21h, na sede da secção de Queluz - Rua D. Pedro IV, 28 A.

Orador Convidado: Dr. Marco Almeida, Vereador da Juventude da CMS.



quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Legalização do interrupção voluntária da gravidez versus políticas de natalidade

Um assunto complexo que possibilita a busca justificada de inúmeras razões a favor e contra, embora eu esteja convicto que ninguém é favorável ao acto em si, mas todos deviamos ser tolerantes e olhar caso a caso. Certamente, os mais defensores da vida (talvez uma palavra díficil de definir e que eu me pergunto o que será a vida?), achem que é um dom divino e que nós não temos o direito de decidir perante “alguém” que não pode escolher. Diria que têm toda a razão. Se reflectir mais um pouco começo a ter dúvidas... e porque não dar a liberdade a alguém que não deseja ser mãe? Que por algum motivo não deseja ter uma criança. Será que a sua vontade deve prevalecer?
Pretendo com isto chegar à seguinte permissa: se existir um estabelecimento de políticas visionárias de apoio à natalidade que permitam a cada individuo que nasce, tenha acesso aos meios de suporte para o desenvolvimento pleno das suas capacidades podemos cativar um aumento do número de nascimentos, ou seja, apoios directos e indirectos às famílias de modo a que ter filhos não constitua um grande acréscimo das dificuldades financeiras, fomentamos de certeza a curto e médio prazo um aumento do número de nascimentos. Se existirem mais creches, se forem mais baratas, com horários flexiveis já é um começo!! Isto custa dinheiro sem dúvida, mas devemos considerar um investimento.

Todas as medidas devem ser tomadas de forma a travar o envelhecimento da nossa população e de todos os efeitos nefastos que isto trará no futuro.
Seguramente já estamos na fase em que estamos a pensar qual a relação entre os assuntos. Diria que devemos dar sempre liberdade de escolha, reflectir sobre o que as escolhas implicam, e, o mais importante, criar condições para que a escolha da vida seja a mais fácil.
E será que devíamos tentar restringir esta liberdade de escolha? Para mim a liberdade é a capacidade de eu poder escolher sempre, ser soberano sobre o meu corpo e mente.



A união constrói-se de baixo para cima. Começa nas secções, continua pelas Distritais e une-se em torno de um projecto estratégico comum e nacional.

A Distrital de Lisboa deve voltar, de forma sensata e pacífica, a "dar cartas" a nível nacional. Possuímos os melhores quadros e a militância mais heterogénea e é nossa obrigação utilizar esses recursos na construção de um PPD/PSD melhor; de um país melhor!

Porque, neste momento, a prioridade é UNIR o partido para GANHAR Portugal, Jorge Bacelar Gouveia é a única escolha para o honroso cargo de Presidente da Comissão Política Distrital de Lisboa.
Hoje, VOTA!

MAIS DO MESMO, NÃO!



Ontem, Carlos Carreiras esteve presente na sede da Secção de Queluz, para apresentar as suas propostas para o Distrito.

Pela primeira vez em muito tempo, voltei a ouvir Carlos Carreiras falar de política externa ao partido. Voltei a ouvir propostas! No entanto, à primeira todos caem; à segunda cai quem quer; à terceira, espero que ninguém caia.

A criação de concelhias, por exemplo, é um tema na ordem do dia e que Jorge Bacelar Gouveia admite discutir ouvindo as bases, por exemplo, através de referendo interno. Já Carlos Carreiras, que teve 4 anos para levar esta alteração estrutural a cabo, nem sequer reconhece estatutariamente o referendo interno.

Carlos Carreiras, que já afirmou publicamente a necessidade de antecipação das eleições internas, criticou o facto de o PPD/PSD ter tido demasiados líderes em poucos anos. Ele, que por inúmeras vezes afrontou o partido na comunicação social, criticou também a contestação interna, que "não gera confiabilidade no partido".

Admitiu também que "foi o Presidente de Distrital possível, não excepcional" e acusou as estruturas de desresponsabilização.

Ao mesmo tempo que afirma que o que tem faltado ao partido é bom-senso, gaba-se de todas as intervenções negativas que prestou aos órgãos de comunicação social, reforçando todas as suas afirmações.

Carlos Carreiras aproveitou para referir que não vê com bons olhos que alguns grupos dentro do partido se sintam no direito de avaliar a sua prestação política no último mandato.
Em relação à questão autárquica, sobre a qual a CPDL pouco ou nada se debruçou, a resposta foi... ZERO! Questionado quanto à qualidade desta lista, dado que um jovem que a integra foi publicamente acusado de espancar violentamente um septuagenário nosso companheiro, Carlos Carreiras ofereceu-se como álibi. Simultaneamente, foi posto a circular o boato de que teria sido (preparem-se) o irmão gémeo do acusado a cometer o acto.
Esquecendo que o partido, não só deve, como tem que contar com os seus militantes com menos de 30 anos, Carlos Carreiras acrescentou que a JSD não deve interferir nestas questões e, consequentemente, não tem direito a representação na sua lista.

Resumindo, por entre um "copy paste" do que se espera que um candidato a uma Distrital defenda, Carlos Carreiras mantém o habitual discurso ditatorial e destrutivo interno.
Nas palavras de um companheiro: "mais do mesmo". Eu acrescento: NÃO!