sábado, 27 de março de 2010

Resultados das Eleições Directas em Queluz

Companheiros,

Cumpre-nos apresentar os resultados, na secção de Queluz, das eleições directas de dia 26.

Passos Coelho - 69 votos
Paulo Rangel - 60 votos
Aguiar Branco - 9 votos
Brancos - 1

Independentemente da orientação de voto, a participação dos 139 votantes foi crucial e expressiva. Um obrigado a todos os que participaram; por vocês, vale a pena!

quinta-feira, 25 de março de 2010

Amanhã... Directas!

O debate da passada Terça-feira, entre representantes Jota das várias candidaturas foi um verdadeiro sucesso. Ao longo de mais de três horas debateram-se os temas focados por cada um dos candidatos, trocaram-se ideias e colocaram-se questões.

A JSD Queluz agradece a presença dos militantes mais e menos jovens, da secção de Queluz e de outros pontos do país e relembra as eleições de amanhã, entre as 17h e as 23h, na sede da secção.

Foi um longo caminho até chegarmos à mais pura expressão da Democracia - as directas. Amanhã, todos os militantes com quotas em dia poderão participar activamente na escolha do próximo líder do Partido Social-Democrata. Não faltes!

segunda-feira, 22 de março de 2010

Debate

Vem até à secção de Queluz na próxima Terça-feira, dia 23 de Março, pelas 21h e assiste a um debate entre representantes Jota de cada uma das candidaturas à Nacional do PPD/PSD.
Forma a TUA própria opinião!

segunda-feira, 15 de março de 2010

Conferência "Políticas de Juventude"

Estão conviados todos os jovens... e menos jovens a participar na conferência, que terá como tema “Políticas para a Juventude” a ter lugar no dia 17 de Março, quarta-feira, às 21 horas na Biblioteca Municipal de Oeiras.

Esta conferência, encontra-se perspectivada para decorrer numa lógica de conversa amena com o nosso convidado, o Dr. Pedro Pinto, onde o mesmo falará sobre esta temática e o público colocará algumas questões no decorrer da iniciativa.

Esta Conferência tem como objectivo principal, colocar os jovens militantes do partido a debater e expor as questões que nos afectam directamente, de forma a projectar e identificar os vectores e o caminho a seguir para uma correcta Política de Juventude.

Assim seria engraçado e tornaria a iniciativa mais dinâmica a existência de algumas intervenções já previamente preparadas para que haja interactividade entre a plateia e o orador.

As vossas ideias, preocupações e pensamentos serão benvindos.

Se desejarem comparecer enviem um email para lmdbatista@gmail.com



sexta-feira, 12 de março de 2010

Pensamento alto

Vivemos hoje uma crise profunda, não só financeira como de falta de valores. Financeira porque faltou a coragem para intervir e regular certos sectores; porque nunca se encarou os problemas com a determinação necessária e acima de tudo não há, nem nunca houve, a vontade suficiente para alterar o sistema de interesses montado na nossa democracia. Todos entendemos que são necessárias medidas duras e frias para controlar o nosso endividamento, só que medidas que alterem o padrão de vida dos portugueses não recebem votos. Os economistas, que tanto escrevem nos jornais, falam em reduzir fortemente a despesa, o que a mim, talvez pouco entendido nestes assuntos, faz sentido, agora falta descrever em detalhe onde? Quando? Como? Porquê? E estudar as alternativas e implicações de efectuar mudanças. Não tendo nada contra o funcionalismo público, já que muitos são trabalhadores eficientes e dedicados, parece-me, também pela minha experiência de vida, que existem trabalhadores dependentes do estado a mais. Diria pelo conheço de um Instituto Público (Instituto Superior de Agronomia), e sem exagerar, que metade dos funcionários não eram necessários e o trabalho era feito na mesma. E pergunto – quantos casos destes não existem no país?Foi cometido sempre o mesmo erro, isto é, face às estatisticas das taxas de desemprego, resolvia-se o problema empregando mais pessoas na administração púlica ou institutos extremamente dependentes desta. E depois passados alguns anos temos “os direitos adquiridos”. E eu pergunto – e as obrigações?
Os valores pelos quais me debato, vão desde o civismo pessoal até à escala mais alargada que será o sector da justiça. O civismo começa nas nossas atitudes, na forma como respeitamos os outros, como contribuímos como um ser indívidual para um grupo. Depois num nível mais alargado temos claramente que ter um sistema que responda aos cidadãos, que seja imparcial, rápido, a que todos tenham acesso e a que todos tenham de responder perante os actos cometidos.
Muito há na nossa sociedade para debater, para reflectir, no entanto por mais que tentemos, temos que destruir um sistema de interesses montado que nos domina, que nos consome, que nos impede de progredir.
Porque acredito que temos força para isso, temos pessoas com vontade, temos ideias mas arrojadas e liberais, mas fundamentalmente existe na nossa mentalidade a coragem para mudar, por isso, apoio o candidato Pedro Passos Coelho à liderança do Partido Social Democrata.

quarta-feira, 10 de março de 2010


As eleições que se avizinham no Partido Social-Democrata são de índole mais ideológica que táctica.
Reflectindo sobre a situação política actual, duas conclusões se retiram.
Por um lado, o Partido Social Democrata surpreende pela quantidade e qualidade dos candidatos que se apresentam. Num país pulverizado de partidos que, ano após ano, apresentam os mesmos candidatos e as mesmas soluções, militar uma organização política que consegue produzir, em simultâneo, quatro alternativas credíveis, é motivo de orgulho. O mesmo não se passa, por exemplo, com o Partido Socialista que, apesar de todos os escândalos em que o secretário-geral se vê envolvido, chegando o congresso, todas as vozes se calam e a que não se cala, simplesmente não comparece.

Não tenho dúvidas que, seja quem for o vencedor das directas de 26 de Março, o PPD/PSD continuará a fazer-se representar por um líder forte, capaz para tomar as rédeas à situação crítica que o país atravessa.

Em segundo lugar e apesar da sua qualidade, os quatro candidatos distinguem-se claramente pela linha ideológica. A questão pode parecer obsoleta, mas não é! A linha ideológica que cada candidato segue, reflecte-se nas propostas que apresenta. Analisando com atenção os projectos de Paulo Rangel ou de Passos Coelho percebemos rapidamente isso.
Não vou especular se haverá espaço político para a criação de um partido liberal português. Não está em causa! O PPD/PSD foi fundado, seguiu até hoje e deverá continuar a seguir uma via Social-Democrata, reformista e nunca liberal. Por outro lado, a situação social e económica que Portugal atravessa exige um líder nacional forte que, com a máxima sensibilidade social, tome as medidas difíceis que permitirão ao país aproximar-se da média europeia a médio prazo.

O meu voto vai para Paulo Rangel!

quinta-feira, 4 de março de 2010

Centro de Saúde de Queluz


Na Assembleia Municipal Extraordinária de quarta-feira, o Presidente da Junta de Freguesia de Queluz, Barbosa de Oliveira, questionou a Câmara Municipal de Sintra quanto ao novo Centro de Saúde de Queluz. "Para quando?"; "Onde?"; etc.
É, de facto, um assunto urgente; sobretudo tendo em conta o envelhecimento da população desta freguesia. Não duvido (sinceramente) que a Câmara Municipal esteja a fazer tudo ao seu alcance para o tornar realidade.
No entanto, cabe a todos os organismos agilizar o processo.
No último mandato foi constituída, em Assembleia de Freguesia,uma Comissão específica para a questão do Centro de Saúde. TODAS as bancadas, à excepção do Partido Socialista, indicaram um elemento para a integrar.
Na última Assembleia de Freguesia, a bancada da Coligação Mais Sintra propôs que, de novo, se constituísse a Comissão relativa ao Centro de Saúde. Desta feita, e com os votos contra do Partido Socialista e da CDU, ficou tudo, "em águas de bacalhau".
Pergunta-se o leitor: Será que a Comissão era uma perda de tempo e não obteve resultados?
Não! Até porque, os resultados da Comissão foram tais que o executivo da Junta de Freguesia de Queluz se apropriou deles. Se bem se lembram, durante semanas a fio, a newsletter da Junta de Freguesia apregoou como sua uma diligência dessa Comissão e publicou a resposta, dirigida à Assembleia de Freguesia de Queluz, como tendo sido dirigida à Junta de Freguesia...

Reafirmo, o Centro de Saúde de Queluz deve ser prioridade para o concelho de Sintra. Acredito que a Câmara está tomar as diligências necessárias. Estará a Junta? Acreditará o Sr. Presidente da Junta que este tipo de politiquice facilita o processo?!



Festa / Debate

Porque a falar é que a gente se entende... nada como uma noite de Sábado para discutir, de forma descontraída, as alternativas à liderança do Partido Social-Democrata.

terça-feira, 2 de março de 2010

PAVILHÃO MUNICIPAL DE CASAL DE CAMBRA



No passado dia 20 de Fevereiro realizou-se a abertura ao Público do Pavilhão Municipal de Casal de Cambra, com a presença do Exmo Senhor Presidente da Câmara Municipal de Sintra, Dr. Fernando Seara e a Presidente da Junta de Freguesia de Casal de Cambra, Fernanda Santos.
Actuaram nesta abertura o grupo de danças Kids Dance, Angels, Despertinas, Grupo de Tambores da Escola Professor Agostinho da Silva, Grupo Coral da Solami, Dojo de Karaté de Casal de Cambra do Sensei Rui Penaguião, decorreu também um jogo amigável de futsal entre os veteranos do Futebol Clube “O Despertar” e os agentes da PSP da Esquadra de Casal de Cambra e uma exibição de basquetebol em cadeira de rodas por parte da Associação Portuguesa de Deficientes de Sintra
Este equipamento possibilita a toda a população a prática de actividades desportivas de treino, competição, recreio e lazer, nomeadamente futsal, andebol, voleibol, basquetebol, ténis, badmington, patinagens, judo, karaté, ginástica artística e actividades no ginásio.
A construção deste polidesportivo coberto decorreu no âmbito das intervenções de renovação urbana em Casal de Cambra e fica inserido no Parque Urbano desta freguesia.
Esta empreitada decorreu numa área total de 16 800 m2 (que compreende o pavilhão, zonas ajardinadas com mobiliário urbano e espaço de estacionamento), sendo que ao edifício do polidesportivo corresponde uma área bruta de construção de 3 595 m2.
O pavilhão é composto por dois pisos. No piso 0 serão desenvolvidas as actividades desportivas, havendo uma área reservada ao ginásio, balneários e instalações sanitárias, uma zona administrativa e bar/esplanada. No piso 1 ficarão situadas as bancadas - que comportam 500 lugares sentados - e a galeria, com uma lotação de 60 lugares.
O Pavilhão está ainda dotado de uma zona de parqueamento (com lugares reservados para autocarros) e espaços exteriores concebidos para conciliar o mobiliário urbano com os espaços verdes.
No total, esta obra representou um investimento de mais de dois milhões de euros